Comportamento voltamétrico da redução de 2- furfuraldeído em etanol utilizando eletrodo de carbono vítreo Report as inadecuate




Comportamento voltamétrico da redução de 2- furfuraldeído em etanol utilizando eletrodo de carbono vítreo - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Marcelo Firmino de Oliveira ; Leonardo Luiz Okumura ; Nelson Ramos Stradiotto ;Eclética Química 2002, 27 (1es)

Author: Adelir Aparecida Saczk

Source: http://www.redalyc.org/


Teaser



Eclética Química ISSN: 0100-4670 atadorno@iq.unesp.br Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Brasil Saczk, Adelir Aparecida; de Oliveira, Marcelo Firmino; Okumura, Leonardo Luiz; Ramos Stradiotto, Nelson Comportamento voltamétrico da redução de 2- furfuraldeído em etanol utilizando eletrodo de carbono vítreo Eclética Química, vol.
27, núm.
1es, 2002, p.
0 Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Araraquara, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=42927112 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Comportamento voltamétrico da redução de 2furfuraldeído em etanol utilizando eletrodo de carbono vítreo Voltammetric behavior of 2-furfuraldehide reduction in ethanol using glassy carbon electrode Adelir Aparecida Saczk; Marcelo Firmino de Oliveira; Leonardo Luiz Okumura; Nelson Ramos Stradiotto Departamento de Química Analítica - Instituto de Química - UNESP - 14801-970 Araraquara - SP - Brasil RESUMO Este estudo descreve o comportamento voltamétrico da redução de 2-furfuraldeído em etanol utilizando-se eletrodo de carbono vítreo, visando estabelecer condições experimentais adequadas para a determinação de 2-furfuraldeído em álcool combustível.
Os voltamogramas obtidos para o 2-furfuraldeído em uma velocidade de varredura (v) de 100mV.s-1 apresentaram uma corrente de pico catódica (ipc) definida em um potencial de -1,45V (vs.
ECS) para o meio aquoso e -1,71V (vs.
ECS) para o meio alcoólico, não sendo observadas correntes de pico anódicas nestes meios reacionais.
A relação entre ipc e v1-2 apresentou-se linear em ambos os meios, exibindo um transporte de massa controlado por difusão.
A análise dos parâmetros eletroquímicos obtidos nes...





Related documents