Corrosividade causada por soluções produzidas com creosoto vegetal Report as inadecuate




Corrosividade causada por soluções produzidas com creosoto vegetal - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Benedito Vital Rocha ; Ricardo Marius Lucia Della ; Terezinha Maria Lucia Castro Della ;Revista Árvore 2002, 26 (5)

Author: Juarez Paes Benigno

Source: http://www.redalyc.org/


Teaser



Revista Árvore ISSN: 0100-6762 r.arvore@ufv.br Universidade Federal de Viçosa Brasil Paes Benigno, Juarez; Vital Rocha, Benedito; Lucia Della, Ricardo Marius; Lucia Castro Della, Terezinha Maria Corrosividade causada por soluções produzidas com creosoto vegetal Revista Árvore, vol.
26, núm.
5, setembro-outubro, 2002, pp.
621-627 Universidade Federal de Viçosa Viçosa, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=48826513 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto 621 Corrosividade Causada por Soluções com Creosoto Vegetal . CORROSIVIDADE CAUSADA POR SOLUÇÕES PRODUZIDAS COM CREOSOTO VEGETAL1 Juarez Benigno Paes2, Benedito Rocha Vital3, Ricardo Marius Della Lucia3 e Terezinha Maria Castro Della Lucia4 RESUMO - Esta pesquisa teve como objetivo avaliar a corrosividade de soluções preservativas preparadas com creosoto vegetal.
Por destilação do alcatrão vegetal, obteve-se o creosoto vegetal bruto, recuperado à temperatura de 110–255 ºC.
Uma fração deste destilado foi lavada com solução a 9% de bicarbonato de sódio, obtendo-se o creosoto vegetal purificado.
Ambas as frações foram enriquecidas com 3% de naftenato de cobre; 3% de naftenato de zinco; 3% de naftenato de cobalto; 2% de TBTO; 2% de tribromofenato de tributil-estanho; 2% de pentaclorofenol; ou 0,4% de trióxido de arsênico.
Foram preparadas 16 soluções preservativas, sendo 14 enriquecidas, além do creosoto vegetal bruto e do creosoto vegetal purificado.
Placas de aço SAE 1006 foram expostas por 6 horas às temperaturas de 25, 45 e 100 ºC, à ação corrosiva dessas soluções.
A corrosividade das soluções de creosoto vegetal foi comparada à corrosividade causada pelo creosoto mineral.
As soluções preparadas com ...





Related documents