Comparação de métodos de amostragem para análise estrutural de florestas ineqüiâneas Report as inadecuate




Comparação de métodos de amostragem para análise estrutural de florestas ineqüiâneas - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Carlos Pedro Soares Boëchat ; Agostinho Souza Lopes de ; Helio Leite Garcia ;Revista Árvore 2002, 26 (5)

Author: Cássia Farias Aparecida de

Source: http://www.redalyc.org/


Teaser



Revista Árvore ISSN: 0100-6762 r.arvore@ufv.br Universidade Federal de Viçosa Brasil Farias Aparecida de, Cássia; Soares Boëchat, Carlos Pedro; Souza Lopes de, Agostinho; Leite Garcia, Helio Comparação de métodos de amostragem para análise estrutural de florestas ineqüiâneas Revista Árvore, vol.
26, núm.
5, setembro-outubro, 2002, pp.
541-548 Universidade Federal de Viçosa Viçosa, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=48826503 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto 541 Comparação de Métodos de Amostragem para Análise . COMPARAÇÃO DE MÉTODOS DE AMOSTRAGEM PARA ANÁLISE ESTRUTURAL DE FLORESTAS INEQÜIÂNEAS1 Cássia Aparecida de Farias2, Carlos Pedro Boëchat Soares3, Agostinho Lopes de Souza3 e Helio Garcia Leite3 RESUMO - O presente trabalho foi realizado em um povoamento florestal ineqüiâneo, pertencente à Universidade Federal de Viçosa-MG, objetivando comparar estimativas do número de árvores por hectare, volume por hectare, área basal por hectare, diâmetro médio e altura média do povoamento e número de espécies, utilizando parcelas de área fixa (método I) e amostragem por ponto horizontal (método de Bitterlich), com fatores de área basal K=1, K=2 e K=4 (métodos II, III e IV, respectivamente).
Após análises, constatou-se que: a) para atender a um determinado erro de amostragem, há a necessidade de maior número de pontos de amostragem, em comparação ao número de parcelas de área fixa; b) não houve diferença estatística entre as estimativas de volume por hectare, área basal por hectare, diâmetro médio e altura média do povoamento, obtidas nas parcelas de área fixa e nos pontos de amostragem, independentemente do fator de área basal; c) a ...





Related documents