Urbe fágica Report as inadecuate




Urbe fágica - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

InterfaceComunicação, Saúde, Educação 2012, 16 43

Author: Ricardo Pozzo

Source: http://www.redalyc.org/


Teaser



Interface - Comunicação, Saúde, Educação ISSN: 1414-3283 intface@fmb.unesp.br Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Brasil Pozzo, Ricardo Urbe fágica Interface - Comunicação, Saúde, Educação, vol.
16, núm.
43, octubre-noviembre, 2012, pp.
11311134 Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=180125203006 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto criação Urbe fágica Ricardo Pozzo1 As imagens que compõem esta edição da Revista Interface fazem parte do Projeto Urbe Fágica do fotógrafo Ricardo Pozzo, nascido em Buenos Aires e radicado em Curitiba, Brasil, desde meados do século XX. URBE FÁGICA Projeto fotográfico com base nas teorias de Georg Simmel, Vilém Flusser e Jean Baudrillard, que tenta provocar, em um hipotético observador aleatório, a constatação de que os estímulos provenientes da realidade são, e cada vez mais, excessivos o suficiente para que as contradições sociais costurem o abismo entre o discurso e as práticas cotidianas. Inserido numa realidade pragmática, mergulhado em um oceano absurdo de estímulos e informação, o habitante da urbe, como nos diz Simmel, não possui capacidade psicobiológica suficiente para que surja, em sua consciência, o elo crítico que o faria estacar em sua atividade autômata e perceber as contradições no todo do ciclo social. Identificado pelo discurso midiático maniqueísta, ora como algoz, ora vítima, muitas vezes simultaneamente nas duas posições, o habitante da urbe, psicoburgês, torna-se presa de uma rotina de manutenção da pólis, estando sempre um passo aquém de suas obrigações, ao mesmo tempo em que seus anseios primitivos...





Related documents