Trabalho de campo supervisionado ii: uma experiência curricular de inserção na atenção primária à saúde Report as inadecuate




Trabalho de campo supervisionado ii: uma experiência curricular de inserção na atenção primária à saúde - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Matheus Oliveira Bastos ; Michele Agostinho Condé ; Natália Janoni Macedo ; Julia de Mattos Feteira ; Felipe Pacelli Botelho ; Rodolpho Luiz da Silva ;InterfaceComunicação, Saúde, Educação 2016, 20 58

Author: Patty Fidelis de Almeida

Source: http://www.redalyc.org/


Teaser



Interface - Comunicação, Saúde, Educação ISSN: 1414-3283 intface@fmb.unesp.br Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Brasil Fidelis de Almeida, Patty; Oliveira Bastos, Matheus; Agostinho Condé, Michele; Janoni Macedo, Natália; de Mattos Feteira, Julia; Pacelli Botelho, Felipe; da Silva, Rodolpho Luiz Trabalho de Campo Supervisionado II: uma experiência curricular de inserção na Atenção Primária à Saúde Interface - Comunicação, Saúde, Educação, vol.
20, núm.
58, julio-septiembre, 2016, pp. 777-786 Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Botucatu, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=180146193025 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto DOI: 10.1590-1807-57622015.0692 espaço aberto Trabalho de Campo Supervisionado II: uma experiência curricular de inserção na Atenção Primária à Saúde Patty Fidelis de Almeida(a) Matheus Oliveira Bastos(b) Michele Agostinho Condé(c) Natália Janoni Macedo(d) Julia de Mattos Feteira(e) Felipe Pacelli Botelho(f) Rodolpho Luiz da Silva(g) Introdução A Constituição Federal de 1988 define que cabe ao Sistema Único de Saúde (SUS) ordenar a formação da força de trabalho para o setor, o que ainda representa um dos maiores desafios para a universalidade e sustentabilidade do sistema público de saúde no país1.
Aprovadas entre 2001 e 2002, as Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) dos cursos de graduação em saúde reforçam que a formação de seus trabalhadores deve contemplar as necessidades do SUS, atuação em equipe e atenção integral2.
Contudo, conforme interroga Almeida Filho3, após mais de dez anos de existência da Lei das DCN, as universidades brasileiras ainda constroem a formação c...





Related documents