Réplica Report as inadecuate




Réplica - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

InterfaceComunicação, Saúde, Educação 2016, 20 58

Author: Pablo Dias Fortes

Source: http://www.redalyc.org/


Teaser



Interface - Comunicação, Saúde, Educação ISSN: 1414-3283 intface@fmb.unesp.br Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Brasil Dias Fortes, Pablo Réplica Interface - Comunicação, Saúde, Educação, vol.
20, núm.
58, julio-septiembre, 2016, pp. 763-765 Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Botucatu, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=180146193023 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto DOI: 10.1590-1807-57622016.0428 debates Réplica Reply Respuesta Pablo Dias Fortes(a) A irremediável busca por justiça Gostaria de iniciar esta réplica dirigindo um especial agradecimento à equipe de editores da Interface pela sugestão de indicar meu artigo para a seção de debates deste número.
Tal agradecimento é também extensivo a cada um dos quatro comentadores que, de modo igualmente acolhedor, enriqueceram a textura do debate, pondo, sob escrutínio crítico, aspectos que complementam – sem nunca esgotar – um olhar coletivo sobre o tema.
A seguir, passo, então, em brevíssima revista esses comentários que são seguidos dos meus. Intitulado de Ne quid nimis (“Nada em demasia”), o texto de Diego Gracia indica, de saída, a cuidadosa observação da tradição filosófica sobre o risco de leituras dicotômicas em matéria de reflexão ética.
Parece partir, assim, de uma necessária propedêutica ao tipo de raciocínio que deve prevalecer quando se trata do exame e de decisões envolvendo problemas morais.
Estes, segundo o autor, são sempre conflitos entre dois ou mais valores, para os quais sugere a advertência de que “Nuestra primera obligación moral no es salvar el valor que consideramos más importante, sino ver si resulta posible salvar t...





Related documents