Editorial ii Report as inadecuate




Editorial ii - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Revista CEFAC 2009, 11 1

Author: Roberta Gonçalves da Silva

Source: http://www.redalyc.org/


Teaser



Revista CEFAC ISSN: 1516-1846 revistacefac@cefac.br Instituto Cefac Brasil Gonçalves da Silva, Roberta Editorial II Revista CEFAC, vol.
11, núm.
1, enero-marzo, 2009 Instituto Cefac São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=169317439007 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Editorial II Prezados leitores, É com o sentimento de vitória que inicio este editorial.
Os fonoaudiólogos receberam no dia 09 de Dezembro de 2008, coincidentemente no Dia do Fonoaudiólogo, a notícia publicada no Diário Oficial da União informando que o CFFa havia elaborado a Resolução 356-2008, a qual dispõe sobre a competência técnica e legal do fonoaudiólogo para atuar nas disfagias orofaríngeas. Após atuarem há pelo menos 20 anos nesta área, os fonoaudiólogos foram recompensados com uma resolução de suma importância.
Talvez possamos nos perguntar quais os motivos da demora para que essa resolução fosse sancionada, e responder que muitas devem ter sido as causas.
O que se pode dizer é que, apesar das dificuldades para que se obtivesse algo que legitimasse o trabalho do fonoaudiólogo na disfagia, alguns incansáveis profissionais lutaram arduamente, durante anos, para que isso viesse a acontecer.
A idéia de criar uma resolução para a disfagia, no ano de 2008, partiu do Conselho Regional - 6ª Região, presidido pela Fga.
Carla Girodo, a qual foi assessorada, inicialmente, pelas fonoaudiólogas Dra. Ana Maria Furkim, Dra.
Roberta Gonçalves, Dra.
Elizabete Carrara de Angelis, Dra.
Irene Queiroz Marchesan e pela Fga.
Camila Fussi.
Mais à frente do processo de discussão outras colegas, como a Dra.
Paula Issa Okubo, Dra.
Maria Inês Gonçalves e Dra.
Teresa Bilton, se uniram ao grupo inic...





Related documents