Estudo da qualidade de vida em indivíduos com paralisia facial periférica crônica adquirida Report as inadecuate




Estudo da qualidade de vida em indivíduos com paralisia facial periférica crônica adquirida - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Zelita Caldeira Ferreira Guedes ;Revista CEFAC 2012, 14 4

Author: Rayné Moreira Melo Santos

Source: http://www.redalyc.org/


Teaser



Revista CEFAC ISSN: 1516-1846 revistacefac@cefac.br Instituto Cefac Brasil Moreira Melo Santos, Rayné; Ferreira Guedes, Zelita Caldeira Estudo da qualidade de vida em indivíduos com paralisia facial periférica crônica adquirida Revista CEFAC, vol.
14, núm.
4, julio-agosto, 2012, pp.
626-634 Instituto Cefac São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=169323218019 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto 626 ESTUDO DA QUALIDADE DE VIDA EM INDIVÍDUOS COM PARALISIA FACIAL PERIFÉRICA CRÔNICA ADQUIRIDA Study on quality of life in subjects with acquired chronic peripheral facial palsy Rayné Moreira Melo Santos (1), Zelita Caldeira Ferreira Guedes (2) RESUMO Objetivo: analisar a qualidade de vida em indivíduos com paralisia facial periférica crônica adquirida. Método: foram selecionados, por meio de triagem, 12 indivíduos com paralisia facial periférica adquirida na fase de sequela, com etiologias de paralisia facial de Bell e Schwannoma após exérese.
Foi verificado o grau da paralisia facial periférica adquirida de acordo com House & Brackmann9, além de ter sido realizada entrevista com perguntas fechadas, para verificar se havia interferência da paralisia facial na convivência social de cada indivíduo.
O tipo de estudo foi transversal e, os testes utilizados foram o não-paramétrico de Mann-Whitney e o teste exato de Fisher, com o nível de significância de 5%.
Resultados: os graus da paralisia facial foram divididos da seguinte forma: I-II (Normal a Disfunção leve), III-IV (Disfunção moderada a moderadamente severa) e V-VI (Disfunção severa a paralisia total).
Nas respostas quanto ao prejuízo nas atividades profissionais e pessoais, indivíduos com face normal a di...





Related documents