Do giro linguístico ao giro ontológico na atividade epistemológica em educação física Report as inadecuate




Do giro linguístico ao giro ontológico na atividade epistemológica em educação física - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Alexandre Fernandez Vaz ;Movimento 2010, 16 (3)

Author: Felipe Quintão Almeida

Source: http://www.redalyc.org/


Teaser



Movimento ISSN: 0104-754X stigger@adufrgs.ufrgs.br Escola de Educação Física Brasil Quintão Almeida, Felipe; Fernandez Vaz, Alexandre Do giro linguístico ao giro ontológico na atividade epistemológica em Educação Física Movimento, vol.
16, núm.
3, julio-septiembre, 2010, pp.
11-29 Escola de Educação Física Rio Grande do Sul, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=115316960002 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Do giro linguístico ao giro ontológico na atividade epistemológica em Educação Física Felipe Quintão Almeida * Alexandre Fernandez Vaz ** Resumo: apresenta a interpretação que parte da tradição marxista na educação física brasileira realiza da virada e-ou do giro linguístico no âmbito de sua atividade epistemológica. Descreve a reação sugerida por aquela tradição (inflexão ontológica) com o objetivo de se contrapor àquela presença. Conclui com algumas implicações da reação proposta para a atividade epistemológica em educação física. Palavras-chav e: Conhecimento.
Linguagem.
Virada Linguística.
Ontologia.
Educação Física. 1 INTRODUÇÃO O debate que envolve as discussões epistemológicas em educação física é bastante recente.
Esse atraso, de alguma maneira, pode ser explicado pelo fato de ela, durante muito tempo, ter sido considerada, conforme já há dez anos apontara Bracht (1999), muito mais uma área de aplicação do que de produção de conhecimento.
Costuma-se atribuir à década de 1980 e a seu movimento renovador as possibilidades de a educação física se pensar como componente curricular que produz seus próprios conhecimentos, relativizando, assim, seu colonialismo epistemológico (GAMBOA, 1995) em relação às ciên...





Related documents