Tolerância de espécies de inverno a herbicidas residuais Report as inadecuate




Tolerância de espécies de inverno a herbicidas residuais - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Ribas Antônio VIDAL ; Ives Clayton Gomes dos Reis GOULART ; Augusto KALSING ;Scientia Agraria 2007, 8 (4)

Author: Anderson Luis NUNES

Source: http://www.redalyc.org/


Teaser



Scientia Agraria ISSN: 1519-1125 sciagr@ufpr.br Universidade Federal do Paraná Brasil NUNES, Anderson Luis; VIDAL, Ribas Antônio; Gomes dos Reis GOULART, Ives Clayton; KALSING, Augusto TOLERÂNCIA DE ESPÉCIES DE INVERNO A HERBICIDAS RESIDUAIS Scientia Agraria, vol.
8, núm.
4, 2007, pp.
443-448 Universidade Federal do Paraná Paraná, Brasil Disponible en: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=99516262015 Cómo citar el artículo Número completo Más información del artículo Página de la revista en redalyc.org Sistema de Información Científica Red de Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal Proyecto académico sin fines de lucro, desarrollado bajo la iniciativa de acceso abierto NUNES, A.L.
et al.
Tolerância de espécies de inverno. NOTA CIENTÍFICA TOLERÂNCIA DE ESPÉCIES DE INVERNO A HERBICIDAS RESIDUAIS TOLERANCE OF WINTER CROPS TO RESIDUAL HERBICIDES Anderson Luis NUNES1 Ribas Antônio VIDAL2 Ives Clayton Gomes dos Reis GOULART3 Augusto KALSING3 RESUMO Algumas culturas, como as espécies cultivadas no inverno, possuem poucas opções de herbicidas seletivos registrados.
Devido a falta de informações, alguns agricultores usam produtos de forma inadequada, podendo ocasionar conseqüências indesejáveis.
O presente trabalho avaliou a tolerância de espécies de inverno a herbicidas residuais.
Para tanto, foi conduzido um experimento entre junho e agosto de 2005, em casa de vegetação da Faculdade de Agronomia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), localizada no município de Porto Alegre.
O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado, arranjo bifatorial 4 x 6, com cinco repetições.
O fator A consistiu das espécies cultiváveis: Avena sativa L.
(aveia branca), Hordeum vulgare L.
(cevada), Raphanus sativus var.
oleiferus Metzger.
(nabo forrageiro) e Triticum aestivum L.
(trigo) e o fator B consistiu dos herbicidas de aplicação em pré-emergência: atrazine (3,0 kg ha-1),...





Related documents