Propagação vegetativa de guaco com adição de ácido naftalenoacético Report as inadecuate




Propagação vegetativa de guaco com adição de ácido naftalenoacético - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Nilton Luiz Ceccon RAMOS ; Katia Christina ZUFFELLATO-RIBAS ; Luciana Lopes Fortes RIBAS ; Henrique Soares KOEHLER ;Scientia Agraria 2008, 9 (1)

Author: Franciely Grose COLODI

Source: http://www.redalyc.org/


Teaser



Scientia Agraria ISSN: 1519-1125 sciagr@ufpr.br Universidade Federal do Paraná Brasil Grose COLODI, Franciely; Ceccon RAMOS, Nilton Luiz; ZUFFELLATO-RIBAS, Katia Christina; Lopes Fortes RIBAS, Luciana; Soares KOEHLER, Henrique PROPAGAÇÃO VEGETATIVA DE GUACO COM ADIÇÃO DE ÁCIDO NAFTALENOACÉTICO Scientia Agraria, vol.
9, núm.
1, 2008, pp.
95-98 Universidade Federal do Paraná Paraná, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=99516828015 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto COLODI, F.G.
et al.
Propagação vegetativa de guaco. NOTA CIENTÍFICA PROPAGAÇÃO VEGETATIVA DE GUACO COM ADIÇÃO DE ÁCIDO NAFTALENOACÉTICO VEGETATIVE PROPAGATION OF GUACO WITH ADDITION OF NAPHTALENE ACETIC ACID Franciely Grose COLODI1 Nilton Luiz Ceccon RAMOS1 Katia Christina ZUFFELLATO-RIBAS2 Luciana Lopes Fortes RIBAS2 Henrique Soares KOEHLER3 RESUMO O guaco (Mikania glomerata Spr.) é uma planta herbácea nativa da Floresta Atlântica, de grande interesse medicinal e que sofre ações extrativistas.
A propagação da espécie é feita por estacas, posta a dificuldade de coleta de sementes.
O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do regulador vegetal ácido naftalenoacético (ANA) no enraizamento de M.
glomerata em estaquia semilenhosa.
O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com seis tratamentos e quatro repetições (10 estacas por tratamento).
Foram utilizadas diferentes concentrações de ANA em talco e em solução (0; 2500; 5000 mg kg-1 e 0; 2500; 5000 mg L-1, respectivamente).
O experimento foi conduzido entre os meses de agosto e outubro de 2006, em Curitiba-PR.
Após 47 dias em casa-de-vegetação, as estacas foram avaliadas com relação ao número de estacas vivas com calos (E...





Related documents