Avaliação respiratória, capacidade funcional e comorbidade em indivíduos com hipertensão arterial Report as inadecuate




Avaliação respiratória, capacidade funcional e comorbidade em indivíduos com hipertensão arterial - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Victor Fernando Couto ; Maycon Sousa Pegorari ; Daniela Gonçalves Ohara ; Luciana Kawakami Jamami ; Maurício Jamami ;Saúde Coletiva 2013, 10 59

Author: Gualberto Ruas

Source: http://www.redalyc.org/


Teaser



Saúde Coletiva ISSN: 1806-3365 editorial@saudecoletiva.com.br Editorial Bolina Brasil Ruas, Gualberto; Couto, Victor Fernando; Sousa Pegorari, Maycon; Gonçalves Ohara, Daniela; Kawakami Jamami, Luciana; Jamami, Maurício Avaliação respiratória, capacidade funcional e comorbidade em indivíduos com hipertensão arterial Saúde Coletiva, vol.
10, núm.
59, 2013, pp.
31-36 Editorial Bolina São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=84228211006 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto avaliação em saúde Ruas G, Couto VF, Pegorari MS, Ohara DG, Jamami LK, Jamami M.
Avaliação respiratória, capacidade funcional e comorbidade em indivíduos com hipertensão arterial Avaliação respiratória, capacidade funcional e comorbidade em indivíduos com hipertensão arterial A hipertensão arterial sistêmica (HAS) caracteriza-se por elevados níveis pressóricos e seu aparecimento pode estar associado ao sedentarismo.
Desta forma o objetivo deste estudo foi avaliar o pico de fluxo expiratório (Peak Flow), força muscular respiratória (FMR), função pulmonar, tolerância ao exercício (TC6), comorbidades e grau de dispneia em indivíduos com hipertensão arterial.
Trata-se de um estudo descritivo, transversal, de caráter exploratório e intencional.
Foram avaliados 38 mulheres e 11 homens.
Realizou-se espirometria, Peak Flow, FMR e o TC6.
Além disso, foi aplicado questionário de comorbidades (Van Manen et al., 2001) e o grau de dispneia (Fletcher,1960).
Observou-se que os valores obtidos foram significativamente menores que os previstos para a Peak Flow (403±76 vs 333±122l-min), PEmáx (79±5 vs 67±25cmH2O), PImáx (81±5 vs 54±25cmH2O), para distância percorrida no TC6(485±56 vs 409...





Related documents