A soberania do mal: georges bataille e a inocência culpada da literatura Report as inadecuate




A soberania do mal: georges bataille e a inocência culpada da literatura - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

IntercomRevista Brasileira de Ciências da Comunicação 2013, 36 1

Author: Philippe Joron

Source: http://www.redalyc.org/


Teaser



Intercom - Revista Brasileira de Ciências da Comunicação ISSN: 1809-5844 intercom@usp.br Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação Brasil Joron, Philippe A soberania do mal: Georges Bataille e a inocência culpada da literatura Intercom - Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, vol.
36, núm.
1, enero-junio, 2013, pp.
271287 Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=69831050014 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto A soberania do mal: Georges Bataille e a inocência culpada da literatura* Philippe Joron** Resumo Em seu ensaio crítico sobre La littérature et le mal (1957), Georges Bataille usa todo um arsenal de conceitos e ideias interligadas para dar conta da Soberania do mal em Literatura e, ao mesmo tempo, da soberania da Literatura pelo mal. Com base em pesquisa bibliográfica, o objetivo do estudo aqui proposto será mostrar que esses mesmos conceitos e opções de pensamento já vinham sendo trabalhados em muitos escritos anteriores filosóficos, econômicos e políticos, ou mesmo místicos, que podem formar a base da sociologia heurística do autor.
Para Bataille, a Literatura é comunicação.
Ela parte de um autor soberano, passa pela servidão de um leitor isolado, e se destina a uma humanidade soberana. Palavras chave: Literatura.
Mal.
Comunicação.
Heterogeneidade.
Núcleo sagrado. La Souveraineté du mal.
Georges Bataille et l’innocence coupable de la littérature Résumé Dans son essai de critique littéraire La littérature et le mal (1957), Georges Bataille utilise tout un arsenal de notions et d’idées-forces se répondant les unes aux autres pour rendre c...





Related documents