‘de primeiro, a gente lembrava...’ - comunicação e interação de moradores do assentamento itapuí com o movimento sem terra Report as inadecuate




‘de primeiro, a gente lembrava...’ - comunicação e interação de moradores do assentamento itapuí com o movimento sem terra - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Denise Cogo ;IntercomRevista Brasileira de Ciências da Comunicação 2013, 36 1

Author: Catarina Teresa Farias Oliveira

Source: http://www.redalyc.org/


Teaser



Intercom - Revista Brasileira de Ciências da Comunicação ISSN: 1809-5844 intercom@usp.br Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação Brasil Farias Oliveira, Catarina Teresa; Cogo, Denise ‘De primeiro, a gente lembrava.’ - Comunicação e interação de moradores do Assentamento Itapuí com o Movimento Sem Terra Intercom - Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, vol.
36, núm.
1, enero-junio, 2013, pp.
229248 Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=69831050012 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto ‘De primeiro, a gente lembrava.’ - Comunicação e interação de moradores do Assentamento Itapuí com o Movimento Sem Terra* Catarina Teresa Farias Oliveira** Denise Cogo*** Resumo O artigo analisa as interações comunicacionais vivenciadas no contexto do Movimento Sem Terra (MST), buscando compreender como moradores de um assentamento em particular – o Itapuí- RS – mantêm e (re) atualizam sua experiência com o Movimento, por meio de um conjunto de processos comunicacionais dinamizados interna e externamente às vivências do assentamento. As reflexões teóricas fundamentam-se nos estudos culturais e de recepção com ênfase nas noções de cotidiano, experiência, identidade e memória.
A metodologia, de caráter etnográfico, constituiu-se de visitas regulares com observações sistemática e pesquisa documental no cotidiano do assentamento e de realização de entrevistas antropológicas com seus moradores.
Os resultados apontam que as interações dos assentados com o MST são constituídas na articulação de processos comunicacionais socioculturais não mediado...





Related documents