Novos formatos, antigos discursos: representações do surf no cinema brasileiro 1991-2006 Report as inadecuate




Novos formatos, antigos discursos: representações do surf no cinema brasileiro 1991-2006 - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Victor Andrade de Melo ;IntercomRevista Brasileira de Ciências da Comunicação 2013, 36 1

Author: Rafael Fortes

Source: http://www.redalyc.org/


Teaser



Intercom - Revista Brasileira de Ciências da Comunicação ISSN: 1809-5844 intercom@usp.br Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação Brasil Fortes, Rafael; de Melo, Victor Andrade Novos formatos, antigos discursos: representações do surf no cinema brasileiro (1991-2006) Intercom - Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, vol.
36, núm.
1, enero-junio, 2013, pp.
187208 Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=69831050010 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Novos formatos, antigos discursos: representações do surf no cinema brasileiro (1991-2006) Rafael Fortes* Victor Andrade de Melo** Resumo Este artigo tem por objetivo analisar os cinco filmes brasileiros lançados em circuito comercial e-ou festivais, entre 1991 e 2006, nos quais o surfe é o tema central: Manobra Radical (Elisa Tolomelli, 1991), Surf Adventures – O Filme (Arthur Fontes, 2001), Fábio Fabuloso (Pedro Cezar, Ricardo Bocão e Antônio Ricardo, 2004), Indo.doc (Leondre Campos e André Pires, 2006) e Tow In Surfing (Jorge Guimarães e Rosaldo Cavalcanti, 2006).
O intuito é compreender as novas representações da modalidade, passada uma década do seu primeiro fluxo de crescimento no país (década de 1980).
Ao final, conclui-se que, imersa em novas redes comerciais, a prática profissionaliza-se definitivamente, ainda que procure manter, pelo menos nos discursos, valores típicos de seu período de estruturação. Palavras chave: Cinema.
Surfe.
Brasil.
Cultura.
Juventude. * Professor do Departamento de Filosofia e Ciências Sociais, Centro de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal do Estado do Rio d...





Related documents