Biopolítica, ordem discursiva e comunicação Report as inadecuate




Biopolítica, ordem discursiva e comunicação - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

IntercomRevista Brasileira de Ciências da Comunicação 2014, 37 2

Author: Marcio Acselrad

Source: http://www.redalyc.org/


Teaser



Red de Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal Sistema de Información Científica Acselrad, Marcio Biopolítica, ordem discursiva e Comunicação Intercom - Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, vol.
37, núm.
2, julio-diciembre, 2014, pp.
315-334 Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=69832559015 Intercom - Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, ISSN (Versão impressa): 1809-5844 intercom@usp.br Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação Brasil Como citar este artigo Número completo Mais informações do artigo Site da revista www.redalyc.org Projeto acadêmico não lucrativo, desenvolvido pela iniciativa Acesso Aberto Biopolítica, ordem discursiva e Comunicação DOI 10.1590-1809-5844201414 Marcio Acselrad* Resumo O presente trabalho tem por objetivo mapear o tema da ordem discursiva em sua relação biopolítica com o campo da Comunicação.
Utilizando o método de pesquisa bibliográfica, partimos da premissa foucaultiana de que a ordem do discurso é essencialmente uma ferramenta de poder, antes de uma aproximação com a verdade.
Desta forma, intentamos dissecar o problema da institucionalização da linguagem e, consequentemente, da Comunicação.
Ao se institucionalizar o desejo, este se vê forçado a se manifestar sob a forma aparentemente translúcida do discurso, no qual inicia-se o império disciplinar da biopolítica, que limita a forma de satisfação do desejo tão somente à alçada institucional.
A biopolítica, forma moderna de controle das multidões, se dá pelo controle do individuo, de seu corpo e de seu espírito, passando, portanto, necessariamente pelo controle do discurso.
Pudemos assim concluir que não é qualquer discurso que terá validade, apenas aqueles moldados e codificados à maneira da instituição, por ela providos de poder e capazes ...





Related documents