Aqui eu sou cego, lá eu sou vidente: modos de ordenar eficiência e deficiência visual Report as inadecuate




Aqui eu sou cego, lá eu sou vidente: modos de ordenar eficiência e deficiência visual - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Ronald João Jacques Arendt ;Caderno CRH 2011, 24 61

Author: Marcia Moraes

Source: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=347632183008


Teaser



Caderno CRH ISSN: 0103-4979 revcrh@ufba.br Universidade Federal da Bahia Brasil Moraes, Marcia; João Jacques Arendt, Ronald AQUI EU SOU CEGO, LÁ EU SOU VIDENTE: modos de ordenar eficiência e deficiência visual Caderno CRH, vol.
24, núm.
61, enero-abril, 2011, pp.
109-120 Universidade Federal da Bahia Salvador, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=347632183008 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Marcia Moraes, Ronald João Jacques Arendt DOSSIÊ AQUI EU SOU CEGO, LÁ EU SOU VIDENTE:1 modos de ordenar eficiência e deficiência visual Marcia Moraes* Ronald João Jacques Arendt** Situando-se no campo dos estudos de ciência, tecnologia e sociedade (CTS), o artigo investiga diferentes modos de ordenar a deficiência visual, isto é, os modos pelos quais a deficiência é feita em diferentes práticas, numa instituição especializada.
São analisados documentos relevantes no campo da deficiência visual e alguns casos, o que permite problematizar a concepção de deficiência como deficit.
O artigo sublinha que a relação entre corpo e deficiência visual não deve ser resumida a identificação da deficiência visual com a ausência de uma função sensorial.
Através dos casos investigados, os autores propõem que se investigue a deficiência visual através de um corpo em ação, que se define por meio das conexões que estabelece com os mais díspares elementos, humanos e não humanos.
O trabalho conclui apontando a relevãncia política de multiplicar as versões de eficiência e deficiência visual, de modo a subeverter a concepção de deficiência como deficit. PALAVRAS CHAVE: deficiência visual, corpo em ação, modos de ordenar, materialidades, socilaidades. MODOS DE ORDENAR ...





Related documents