Palavra pintada: o texto não-verbal e sua discursividade estética Report as inadecuate




Palavra pintada: o texto não-verbal e sua discursividade estética - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Revista Digital do LAV 2008, 1 1

Author: Sônia de Fátima Elias Mariano Carvalho

Source: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=337027033016


Teaser



Revista Digital do LAV E-ISSN: 1983-7348 revistadigitaldolav@ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil Elias Mariano Carvalho, Sônia de Fátima Palavra pintada: o texto não-verbal e sua discursividade estética Revista Digital do LAV, vol.
1, núm.
1, septiembre, 2008, pp.
1-15 Universidade Federal de Santa Maria Santa Maria, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=337027033016 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Palavra pintada: o texto não-verbal e sua discursividade estética Sônia de Fátima Elias Mariano Carvalho* Resumo Objetivamos desenvolver neste trabalho perspectivas voltadas ao estudo da imagem (obra de arte) em sua materialidade e respectiva linguagem não-verbal, no âmbito da Análise do Discurso de linha francesa.
O referencial teórico norteador deste estudo está nas obras de Michel Pêcheux e Mikhail Bakhtin em razão de suas ricas contribuições ao tema abordado e da possibilidade de diálogo entre suas obras.
Esta trajetória teóricometodológica nos permite trabalhar com as noções de polifonia, interdiscurso, polissemia e policromia.
Ao depararmos com uma imagem e, principalmente, se esta for uma obra de arte, tentaremos “ler” suas cores e traços e depreender deles o sentido.
Estaremos buscando uma interpretação, uma apreensão de uma significação para tal imagem.
Cada olhar pode trabalhar de forma idiossincrática, portanto diferenciada, ao visualizar palavras e imagens.
Todos os elementos que fazem parte da semiose discursiva evidenciados por Van Gogh têm uma recorrência comum: o antagonismo.
As cores vibrantes e linhas escuras, céu escuro e paisagem ensolarada (noite ou dia?).
A igreja vista do alto ou de frente? Simetria e assimetria fundamen...





Related documents