O service d’histoire de l’éducation que conheci: um depoimento pessoal.service d-histoire de l-éducation, j-ai rencontré: un témoignage Report as inadecuate




O service d’histoire de l’éducation que conheci: um depoimento pessoal.service d-histoire de l-éducation, j-ai rencontré: un témoignage - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Revista História da Educação 2014, 18 42

Author: Eliane Marta Teixeira Lopes

Source: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=321629404014


Teaser



Revista História da Educação ISSN: 1414-3518 rhe.asphe@gmail.com Associação Sul-Rio-Grandense de Pesquisadores em História da Educação Brasil Teixeira Lopes, Eliane Marta O SERVICE D’HISTOIRE DE L’ÉDUCATION QUE CONHECI: UM DEPOIMENTO PESSOAL.Service dHistoire de lÉducation, jai rencontré: un témoignage Revista História da Educação, vol.
18, núm.
42, enero-abril, 2014, pp.
231-234 Associação Sul-Rio-Grandense de Pesquisadores em História da Educação Rio Grande do Sul, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=321629404014 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto 231 O SERVICE D’HISTOIRE DE L’ÉDUCATION QUE CONHECI: UM DEPOIMENTO PESSOAL Service dHistoire de lÉducation, jai rencontré: un témoignage Eliane Marta Teixeira Lopes Universidade Federal de Minas Gerais - Brasil.  Com bolsa de estudos concedida pela Capes fui, em 1987, fazer um pósdoutoramento em Paris.
Na época, ninguém falava pósdoc.
Essa bolsa foi concedida a partir do aceite de Ruggiero Romano, professor da École des Hautes Études en Sciences Sociales, que trabalhava com História Econômica e tinha interesse na vida colonial da América Latina.
Apesar dessa aparente divergência de interesses e objetivos, ele discutia comigo as questões que levei para minha pesquisa e facilitou minha vida acadêmica na École.
A partir de suas sugestões comecei a freqüentar os seminários de Roger Chartier, Jacques Revel, Arlette Farge e, naturalmente, os de Romano.
Pouca gente, e não me incluo, sabia quem eram esses monsieurs e madame.
Eu de nada sabia, mas prestava muita atenção, tanta que ainda hoje sou capaz de lembrar nomes de pessoas que freqüentavam os seminários, de suas roupas, da cantin...





Related documents