Vida e morte da infância, entre o humano e o inumano Report as inadecuate




Vida e morte da infância, entre o humano e o inumano - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Educação & Realidade 2010, 35 3

Author: Walter Omar Kohan

Source: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=317227078008


Teaser



Educação & Realidade ISSN: 0100-3143 educreal@ufrgs.br Universidade Federal do Rio Grande do Sul Brasil Kohan, Walter Omar Vida e Morte da Infância, entre o Humano e o Inumano Educação & Realidade, vol.
35, núm.
3, septiembre-diciembre, 2010, pp.
125-138 Universidade Federal do Rio Grande do Sul Porto Alegre, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=317227078008 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Vida e Morte da Infância, entre o Humano e o Inumano Walter Omar Kohan RESUMO – Vida e Morte da Infância, entre o Humano e o Inumano.
Este texto parte do filósofo francês Jean-François Lyotard, que define a infância como um resto do inumano que todo ser humano deve abandonar para nascer.
Recupera, com ele, a tarefa política de resistir ao esquecimento dessa infância, e o faz incorporando outros autores: Sócrates, que coloca a infância no reino de uma verdade tão justa quanto impossível de escutar; Rilke, que identifica a infância com as crianças e com a arte; Deleuze, que despega a infância da subjetividade que a inscreve numa trama de esquecimento de si. Finalmente, traz a crítica que o próprio Lyotard desdobra do totalitarismo contemporâneo focado na infância.
As quatro leituras têm uma ligação política: trata-se de modos de resistir ao esquecimento da infância que constitui todo ser humano. Palavras-chave: Infância.
J.-F.
Lyotard.
Sócrates.
Rilke.
Deleuze. ABSTRACT – Life and Death of Childhood, between the Human and the Inhuman. This text starts from French Philosopher Jean-François Lyotard, who defines childhood as the rest of inhuman that every human being needs to abandon in order to be born in the world.
It shares with this author the political task of resis...





Related documents