Grupo de apoio: relações interpessoais entre puérperas com filhos recém-nascidos hospitalizados Report as inadecuate




Grupo de apoio: relações interpessoais entre puérperas com filhos recém-nascidos hospitalizados - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Ana Karina Bezerra Pinheiro ; Ângela Maria Alves e Souza ;Acta Paulista de Enfermagem 2008, 21 2

Author: Maria Adelane Alves Monteiro

Source: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=307023824009


Teaser



Acta Paulista de Enfermagem ISSN: 0103-2100 ape@unifesp.br Escola Paulista de Enfermagem Brasil Alves Monteiro, Maria Adelane; Bezerra Pinheiro, Ana Karina; Alves e Souza, Ângela Maria Grupo de apoio: relações interpessoais entre puérperas com filhos recém-nascidos hospitalizados Acta Paulista de Enfermagem, vol.
21, núm.
2, 2008, pp.
287-293 Escola Paulista de Enfermagem São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=307023824009 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Artigo Original Grupo de apoio: relações interpessoais entre puérperas com filhos recém-nascidos hospitalizados* Support group: interpersonal relationships among puerpera with hospitalized newborn children Grupo de apoyo: relaciones interpersonales entre puérperas con hijos recién nacidos hospitalizados Maria Adelane Alves Monteiro1, Ana Karina Bezerra Pinheiro2, Ângela Maria Alves e Souza3 RESUMO Objetivo: Verificar as relações interpessoais entre puérperas com filhos recém-nascidos hospitalizados vivenciadas no grupo de apoio- suporte.
Métodos: Pesquisa-ação realizada na “Casa da Mamãe”, anexo de um hospital filantrópico de Sobral-CE, em abril de 2005. Formamos um grupo de apoio-suporte, utilizando como referencial teórico, na abordagem grupal, a proposta referida por Loomis.
Realizamos uma sessão preparatória e seis sessões grupais.
Participaram do estudo nove mães.
Resultados: O isolamento e a tristeza da puérpera recémchegada dificulta a aproximação das outras mães, influenciando no processo de adaptação à experiência.
O tempo de convivência dessas mães está ligado à qualidade das relações estabelecidas entre elas.
Os papéis desenvolvidos e o poder de influência parecem esta...





Related documents