Análise da soroprevalência do herpesvírus bovino tipo-1 e do cortisol sérico em diferentes situações de manejo no rio grande do sul Report as inadecuate




Análise da soroprevalência do herpesvírus bovino tipo-1 e do cortisol sérico em diferentes situações de manejo no rio grande do sul - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Acta Scientiae Veterinariae 2008, 36 3

Author: MARCELO MARONNA DIAS

Source: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=289021806019


Teaser



Acta Scientiae Veterinariae ISSN: 1678-0345 ActaSciVet@ufrgs.br Universidade Federal do Rio Grande do Sul Brasil MARONNA DIAS, MARCELO Análise da soroprevalência do herpesvírus bovino tipo-1 e do cortisol sérico em diferentes situações de manejo no Rio Grande do Sul Acta Scientiae Veterinariae, vol.
36, núm.
3, 2008, pp.
309-310 Universidade Federal do Rio Grande do Sul Porto Alegre, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=289021806019 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Acta Scientiae Veterinariae.
36(3): 309-310, 2008. RESUMO DE TESE Análise da soroprevalência do herpesvírus bovino tipo-1 e do cortisol sérico em diferentes situações de manejo no Rio Grande do Sul* MARCELO MARONNA DIAS Paulo Michel Roehe (Orientador - UFRGS) Banca: Dr.
Diogo Onofre Gomes de Souza (UFRGS), Dr.
David Driemeier (UFRGS), Carlos Octávio Cordovés Céspedes (IRFA-RS) Em quatro artigos estudou-se as variações de cortisol sérico frente a diferentes situações de manejo, a soroprevalência e dinâmica do BHV-1 e taxas de prenhez e abortos em gado de corte.
No primeiro, foram avaliados os níveis de cortisol sérico frente a situações de manejo.
Os níveis de cortisol sérico nas terneiras de 80 dias de idade (0,22 ± 0,25 ug-dl) diferiram significativamente de todas as categorias (P 0,001), com exceção das terneiras de 180 dias (P = 0,81).
As terneiras com 180 dias (0,91 ± 0,43 ug-dl) não diferiram das novilhas de um ano e dois anos (1,97 ± 1,40 ug-dl e 2,15 ± 1,41 ug-dl, respectivamente), mas diferiram das vacas.
As novilhas nas duas idades não diferiram das vacas de três até oito anos de idade (3,25 ± 1,89 ug-dl; 2,62 ± 1,27 ug-dl; 2,42 ± 0,93 ug-dl; 3,12 ± 0,69 ug-dl; 2,89 ± 0,4...





Related documents