Religiosidade, enfrentamento e bem-estar subjetivo em pessoas vivendo com hiv-aids Report as inadecuate




Religiosidade, enfrentamento e bem-estar subjetivo em pessoas vivendo com hiv-aids - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Eliane Maria Fleury Seidl ;Psicologia em Estudo 2006, 11 1

Author: Juliana Bernardes de Faria

Source: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=287122090018


Teaser



Psicologia em Estudo ISSN: 1413-7372 revpsi@uem.br Universidade Estadual de Maringá Brasil Bernardes de Faria, Juliana; Fleury Seidl, Eliane Maria Religiosidade, enfrentamento e bem-estar subjetivo em pessoas vivendo com HIV-aids Psicologia em Estudo, vol.
11, núm.
1, enero-abril, 2006, pp.
155-164 Universidade Estadual de Maringá Maringá, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=287122090018 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto RELIGIOSIDADE, ENFRENTAMENTO E BEM-ESTAR SUBJETIVO 1 EM PESSOAS VIVENDO COM HIV-AIDS Juliana Bernardes de Faria* Eliane Maria Fleury Seidl# RESUMO.
O estudo investigou o poder de predição das variadas estratégias de enfrentamento, incluindo o enfrentamento religioso (ER), escolaridade e condição de saúde (assintomático ou sintomático) em relação ao bem-estar subjetivo (afeto positivo e negativo), em 110 pessoas HIV , 68,2% das quais eram homens, com idades entre 21 e 60 anos.
Os instrumentos incluíram questionários elaborados para o estudo, Escala de Afetos Positivos e Negativos, Escala Modos de Enfrentamento de Problemas e Escala Breve de Enfrentamento Religioso.
Análises-padrão de regressão múltipla indicaram que enfrentamento focalizado na emoção (preditor negativo), enfrentamento focalizado no problema e enfrentamento religioso positivo foram preditores do afeto positivo, com 30% de variância explicada.
Em relação ao afeto negativo, observou-se contribuição do enfrentamento focalizado na emoção e do enfrentamento focalizado no problema (preditor negativo), totalizando 36% de explicação da variância.
Os achados contribuem para melhor compreensão dos possíveis efeitos das diversas modalidades de enfrentamento sobre o bem-estar subjetivo,...





Related documents