Reversão dos efeitos da história de incontrolabilidade sob contingências de variação comportamental Report as inadecuate




Reversão dos efeitos da história de incontrolabilidade sob contingências de variação comportamental - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Josele Abreu-Rodrigues ; Elisa Tavares Sanabio-Heck ;Psicologia em Estudo 2007, 12 3

Author: Karina de Guimarães Souto e Motta

Source: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=287122098019


Teaser



Psicologia em Estudo ISSN: 1413-7372 revpsi@uem.br Universidade Estadual de Maringá Brasil de Guimarães Souto e Motta, Karina; Abreu-Rodrigues, Josele; Sanabio-Heck, Elisa Tavares Reversão dos efeitos da história de incontrolabilidade sob contingências de variação comportamental Psicologia em Estudo, vol.
12, núm.
3, diciembre, 2007, pp.
617-626 Universidade Estadual de Maringá Maringá, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=287122098019 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto REVERSÃO DOS EFEITOS DA HISTÓRIA DE INCONTROLABILIDADE SOB CONTINGÊNCIAS DE VARIAÇÃO COMPORTAMENTAL * Karina de Guimarães Souto e Motta # Josele Abreu-Rodrigues ¶ Elisa Tavares Sanabio-Heck RESUMO.
A exposição a eventos incontroláveis produz dificuldade na aprendizagem de novos comportamentos.
O presente estudo investigou o papel da instrução e da exposição à controlabilidade na reversão dos efeitos da história de incontrolabilidade.
No treino, estudantes universitários foram expostos à controlabilidade (grupo CC) ou à incontrolabilidade (grupos IC, ICi, II, IIi).
Na “terapia”, os grupos CC, IC e ICi foram expostos à controlabilidade, enquanto os grupos II e IIi continuaram expostos à incontrolabilidade.
Os grupos ICi e IIi receberam uma instrução de incontrolabilidade-controlabilidade.
No teste, todos os grupos foram expostos a controlabilidade.
Os participantes expostos apenas à incontrolabilidade (grupos II e IIi) apresentaram maior persistência do responder do que aqueles expostos à “terapia” (grupos IC e ICi), os quais não diferiram dos participantes expostos apenas à controlabilidade (Grupo CC), a despeito da instrução.
O procedimento de “terapia”, portanto, foi mais...





Related documents