Reseña de -clínica da melancolia- de ana cleide guedes moreira Report as inadecuate




Reseña de -clínica da melancolia- de ana cleide guedes moreira - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental 2002, V 4

Author: José Waldemar Thiesen Turna

Source: http://www.redalyc.org/


Teaser



Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental ISSN: 1415-4714 psicopatologiafundamental@uol.com.br Associação Universitária de Pesquisa em Psicopatologia Fundamental Brasil Thiesen Turna, José Waldemar Reseña de -Clínica da melancolia- de Ana Cleide Guedes Moreira Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, vol.
V, núm.
4, diciembre, 2002, pp.
164-169 Associação Universitária de Pesquisa em Psicopatologia Fundamental São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=233018122016 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto R E V I S T A LATINOAMERICANA DE PSICOPATOLOGIA F U N D A M E N T A L an o V, n.
4, dez- 2 0 02 Rev.
Latinoam.
Psicopat.
Fund., V, 4, 164-169 Clínica da melancolia Ana Cleide Guedes Moreira São Paulo: Escuta, 2002 Clínica da melancolia José Waldemar Thiesen Turna 164 Como nos orienta Freud, somos seres orgânicos, e a clínica psicopatológica vem corroborar este aspecto com mais um: nossa subjetividade é uma criação que se tornou cara a nós. A metapsicologia freudiana é somática e o trabalho de Ana Cleide G.
Moreira é uma investigação acerca das questões fundantes de uma clínica nova, a “clínica da AIDS-melancolia”; por muitos considerada atípica, aclínica, lugar onde o analista, defrontado à fantasia de morte – tanto a sua quanto a do outro – refere-se num impossível de tratar convertendo a justa possibilidade do tratamento psicanalítico – onde o sujeito poderia transitar, sair da condição de objeto passivo ao gozo do Outro e deslocando-se à condição de agente – em um abandono teórico e clínico da doutrina. É a partir da clínica, transferência e questionamento teórico aprofundado e intenso, que a autora re...





Related documents