Travessia em análise: dois eus e um saquinho de culpas Report as inadecuate




Travessia em análise: dois eus e um saquinho de culpas - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental 2011, 14 4

Author: Ana Cleide Guedes Moreira

Source: http://www.redalyc.org/


Teaser



Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental ISSN: 1415-4714 psicopatologiafundamental@uol.com.br Associação Universitária de Pesquisa em Psicopatologia Fundamental Brasil Guedes Moreira, Ana Cleide Travessia em análise: dois eus e um saquinho de culpas Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, vol.
14, núm.
4, diciembre, 2011, pp.
595598 Associação Universitária de Pesquisa em Psicopatologia Fundamental São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=233021455001 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Rev.
Latinoam.
Psicopat.
Fund., São Paulo, v.
14, n.
4, p.
595-598, dezembro 2011 Editorial Travessia em análise: dois eus e um saquinho de culpas Ana Cleide Guedes Moreira Um dia escutei uma réplica vinda do divã, em forma de grunhido, quase imperceptível, mas amuado.
A analisanda protestava.
Pensei que havia sido excessiva em algo, mas o quê? Acabava de me alongar um pouquinho mais em uma fala sobre a melancolia.
Escorregão racional, tentativa didática, invasão do campo analítico por excesso de representações do analista? Metapsicologia é que não foi, pois produziu resistência. A tentativa frustrada de interpretação, ao contrário de permitir atravessar um recalque, rendeu barricadas de obstrução.
Não havia dúvidas, havia sido interditado um caminho.
Silenciei.
A sessão continuou. No processo analítico haveria novas oportunidades de retomar o sentido desse protesto em forma de resmungo, após o anúncio de um eu, outro que não o da própria analisanda. Ela, como intelectual da revolução socialista, solicitava uma análise em que o clínico não fosse senão a porta de entrada para movimentos psíquicos em ampla escala, cidadã do mundo pa...





Related documents