Incultura e criminalidade: estereótipos sobre a educação da criança, do jovem e do camponês no século xix Report as inadecuate




Incultura e criminalidade: estereótipos sobre a educação da criança, do jovem e do camponês no século xix - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

História São Paulo 2005, 24 1

Author: José Ernesto Pimentel Filho

Source: http://www.redalyc.org/


Teaser



História (São Paulo) ISSN: 0101-9074 revistahistoria@unesp.br Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Brasil Pimentel Filho, José Ernesto Incultura e criminalidade: estereótipos sobre a educação da criança, do jovem e do camponês no século XIX História (São Paulo), vol.
24, núm.
1, 2005, pp.
227-246 Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=221014791009 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Incultura e criminalidade: estereótipos sobre a educação da criança, do jovem e do camponês no século XIX José Ernesto PIMENTEL FILHO1 RESUMO: Este artigo trata das estratégias de combate ao crime no século XIX, demonstrando que elas se ligavam a práticas e discursos morais que estereotipavam diferentes personagens sociais.
Vê-se que figuras como o camponês, o jovem e a criança apareciam numa imagem inversa da civilidade dominante.
O tema da educação e da formação era perpassado por preocupações com a boa moral e a recusa às práticas desviantes da norma.
A abordagem cruza exemplos pertencentes a diferentes países no Ocidente, sobretudo o Brasil e a França. Entre as fontes, estão: obras de caráter ficcional, trabalhos monográficos, relatórios e bibliografia especializada.
A metodologia visa pôr em evidência os aspectos da história das sensibilidades e do imaginário social ligados à formação da criança e do jovem.
Objetiva-se tanto recuperar dimensões alternativas do processo histórico, quanto colocar em questão as bases de nossos mecanismos de controle da emoção. PALAVRAS-CHAVE: CONSIDERAÇÕES História da Violência; Século XIX; Educação. INTRODUTÓRIAS: ILETRADO, LOGO...





Related documents