A espinha partida. considerações acerca da violência no filme tsotsi – infância roubada Report as inadecuate




A espinha partida. considerações acerca da violência no filme tsotsi – infância roubada - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Maria Inês G. de Freitas Bittencourt ;Estudos e Pesquisas em Psicologia 2008, 8 3

Author: Junia de Vilhena

Source: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=451844627005


Teaser



Estudos e Pesquisas em Psicologia E-ISSN: 1808-4281 revispsi@gmail.com Universidade do Estado do Rio de Janeiro Brasil de Vilhena, Junia; de Freitas Bittencourt, Maria Inês G. A espinha partida.
Considerações acerca da violência no filme Tsotsi – Infância Roubada Estudos e Pesquisas em Psicologia, vol.
8, núm.
3, julio-diciembre, 2008, pp.
612-631 Universidade do Estado do Rio de Janeiro Rio de Janeiro, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=451844627005 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto ARTIGOS A espinha partida.
Considerações acerca da violência no filme Tsotsi – Infância Roubada Fractured spine.
Notes about the violence in the film Tsotsi - a stolen childhood Junia de Vilhena * Professora do Dept.
de Psicologia da PUC-Rio - RJ, Brasil Coordenadora do Laboratório Interdisciplinar de Pesquisa e Intervenção Social – LIPIS da PUC-Rio. Pesquisadora da Associação Universitária de Pesquisa em Psicopatologia Fundamental. Psicanalista do Círculo Psicanalítico do Rio de Janeiro. Maria Inês G.
de Freitas Bittencourt ** Professora do Departamento de Psicologia da PUC-Rio - RJ, Brasil Coordenadora do Serviço de Psicologia Aplicada da PUC-Rio Pesquisadora do Laboratório Interdisciplinar de Pesquisa e Intervenção Social – LIPIS da PUC-Rio. Resumo O filme sul-africano “Tsotsi”, dirigido por Gavin Hood (2005) e exibido no Brasil sob o título “Infância roubada”, é tomado como base para uma reflexão sobre os modos de subjetivação marcados pela agressividade, que surgem como conseqüência do desamparo e da ameaça de aniquilação vivenciados por crianças vivendo em condições ambientais desfavoráveis.
A destruição da capacidade de simbolizar, como re...





Related documents