Conviver -como diferente- Report as inadecuate




Conviver -como diferente- - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

REMHURevista Interdisciplinar da Mobilidade Humana 2012, 20 38

Author: Edi Maria Eidt

Source: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=407042015017


Teaser



REMHU - Revista Interdisciplinar da Mobilidade Humana ISSN: 1980-8585 remhu@csem.org.br Centro Scalabriniano de Estudos Migratórios Brasil Eidt, Edi Maria CONVIVER “COMO DIFERENTE” REMHU - Revista Interdisciplinar da Mobilidade Humana, vol.
20, núm.
38, enero-junio, 2012, pp.
269-273 Centro Scalabriniano de Estudos Migratórios Brasília, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=407042015017 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Edi Maria Eidt, mscs CONVIVER “COM O DIFERENTE” Ir.
Edi Maria Eidt, mscs* Conviver não é simplesmente viver com alguém, lado a lado.
Não é uma simples aceitação do outro.
Mas, no meu entender, conviver significa entrelaçar culturas, dividir formas diversas de pensar, de ser, de agir, de crer, de perceber e encarar a própria vida, para criar, a partir deste convívio, algo diferente e novo em mim mesma e no outro. Assim, o conviver com o outro - que nós muitas vezes chamamos “diferente”- nos faz sair do mundo individual e social a que estamos acostumados e abre diante de nós um universo a ser explorado e vivido.
A diversidade torna-se pouco a pouco um valor, transforma-se em riqueza e faz saborear a vida numa amplitude mais profunda.
A diversidade é uma realidade no convívio humano, em particular, no espaço da migração. Esta, quando aceita, torna-se fonte de mudança e riqueza, e quando rejeitada, torna-se razão de medo, agressividade e discriminação. João Paulo II, em seu discurso na Assembleia da ONU, a 5 de Outubro de 1995 dizia a respeito da diversidade cultural: Querer ignorar a realidade da diversidade – ou pior ainda, tratar de anulá-la - significa excluir a possibilidade de explorar as profundidades do mistério da vida humana. A...





Related documents