Solidão na perspectiva do idoso Report as inadecuate




Solidão na perspectiva do idoso - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Maria Alcina Neto Afonso ;Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia 2016, 19 2

Author: Zaida de Aguiar Sá Azeredo

Source: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=403846391011


Teaser



Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia ISSN: 1809-9823 revistabgg@gmail.com Universidade do Estado do Rio de Janeiro Brasil de Aguiar Sá Azeredo, Zaida; Neto Afonso, Maria Alcina Solidão na perspectiva do idoso Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, vol.
19, núm.
2, abril-junio, 2016, pp.
313324 Universidade do Estado do Rio de Janeiro Rio de Janeiro, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=403846391011 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto http:--dx.doi.org-10.1590-1809-98232016019.150085 313 Loneliness from the perspective of the elderly Zaida de Aguiar Sá Azeredo1,2 Maria Alcina Neto Afonso2 Resumo Introdução: A solidão é um sentimento penoso e angustiante, que conduz a um mal-estar em que a pessoa se sente só, ainda que rodeada de pessoas, por pensar que lhe falta suporte, sobretudo de natureza afetiva.
É mais frequente na adolescência, porém também o é nos idosos.
Objetivo: Conhecer a opinião dos idosos em relação aos sentimentos de solidão. Metodologia: Respeitando a confidencialidade, foram inquiridos 73 idosos de ambos os sexos, que vivem em lares ou no domicílio habitual, mas frequentam centros-dia - de convivência.
A amostra foi por conveniência, aleatória, constituída por idosos que se encontravam em condições de responder e o desejaram fazer.
Foi utilizado um pequeno questionário, devidamente testado, de perguntas de resposta mista.
Resultados: Para 78,1% dos entrevistados, a pessoa significativa era um familiar que não o cônjuge (sobretudo filhas e netas); 79,4% referiram sentir algumas vezes ou raramente - nunca solidão. São os viúvos e os divorciados que em maior percentagem referiam sentir muitas vezes solidão.
Para diminuição d...





Related documents