Os -camponeses- e o -imperador-: reflexões etnográficas sobre orizicultura intensiva e estratificação social no sudeste da china rural Report as inadecuate




Os -camponeses- e o -imperador-: reflexões etnográficas sobre orizicultura intensiva e estratificação social no sudeste da china rural - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Etnográfica 2006, 10 1

Author: Gonçalo Duro dos Santos

Source: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=372339147002


Teaser



Etnográfica ISSN: 0873-6561 etnografica@cria.org.pt Centro em Rede de Investigação em Antropologia Portugal Duro dos Santos, Gonçalo Os -camponeses- e o -imperador-: Reflexões etnográficas sobre orizicultura intensiva e estratificação social no Sudeste da China rural Etnográfica, vol.
10, núm.
1, mayo, 2006, pp.
41-70 Centro em Rede de Investigação em Antropologia Lisboa, Portugal Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=372339147002 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Histórias Alternativas OS “CAMPONESES” E O “IMPERADOR”. REFLEXÕES ETNOGRÁFICAS SOBRE ORIZICULTURA INTENSIVA E ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL NO SUDESTE DA CHINA RURAL Gonçalo Duro dos Santos Este artigo revisita o tema da distinção social nas sociedades humanas, a partir de material etnográfico recentemente colectado numa aldeia de linhagem situada na região de cultivo intensivo de arroz irrigado do Sudeste da China subtropical.
O artigo sugere que as metáforas imperiais de estratificação social usadas pelos “camponeses” desta aldeia para se posicionarem no mundo são parte integrante de um esquema prático de estratificação social, cuja popularidade pode ser parcialmente explicada pelo facto de este esquema se encontrar profundamente enredado num modo de vida agrário imemorial assente na prática de orizicultura intensiva.
Sugere-se ainda que este esquema cultural de estratificação social com ressonâncias orizícolas não é apenas um “modelo ideológico de”, mas é também um “modelo ideológico para” a distinção social, que está por isso sujeito ao poder transformativo da história. PALAVRAS-CHAVE: orizicultura intensiva; distinção e estratificação social; cultura; prática; história; China. ...





Related documents